PARTICIPAR DESSE SITE

sábado, 4 de agosto de 2012

A FLOR E O VENTO... Na poesia também há histórias!

Deixa-me Vento! Dizia 
A Flor pálida de terror
E o Vento, bravo e valente,
Assobiava levando a flor.

Deixa-me, deixa-me, Vento!
Dizia a Flor a chorar
"Eu sou parte de uma árvore
Não me deixes a vagar".

E o Vento, veloz e frio
Com um cantar zombador,
Por sobre o ar se expandia
se expandia jogando a Flor.

"Ai balanços de meus galhos
Carinhosamente a embalar;
"Ai, gotinhas de orvalho
Quando vinhas me banhar!..."

Chorava a Flor, e gemia
Triste, apovorada com temor
E o Vento bravo e frio
Assobiava levando a Flor.

Profª Fatuca, 2012.

2 comentários:

  1. Parafraseando mais uma vez com minha musa inspiradora: Cecília Meirelles(A Flor e a fonte)

    ResponderExcluir